Resumo:

A partir do conceito “o equilíbrio das histórias” do escritor nigeriano Chinua Achebe, no qual diz que diante de uma história que não o/a representa é preciso contar outra que se contraponha a ela. Dessa forma, é preciso problematizar a construção de uma perspectiva acerca do ensino das Histórias das Áfricas (e da produção do conhecimento a respeito) e de suas populações. O artigo propõe a reflexão de pensar a transformação de olhares, pensando a promulgação da Lei n. 10.639/2003, indaga “A inclusão de conteúdos é pressuposto para a transformação dos olhares em relação as Áfricas e suas populações? Quais caminhos seguir? Quais histórias contar para que ocorra, como proposto por Achebe, o equilíbrio das histórias?”. O artigo se propõe a apontar as dúvidas, as reflexões, os questionamentos e os caminhos trilhados na tentativa de buscar uma forma de ensino e de pesquisa na temática a partir de um questionamento das tradições eurocêntricas presentes na produção do conhecimento e o rompimento das visões simplistas e estereotipadas das inúmeras experiências e vivências, no passado e no presente, das populações africanas.

Palavras-Chave: Ensino de História das Áfricas, Chinua Achebe

MORTARI, Claudia. O “equilíbrio das histórias”- reflexões em torno de experiências In: PAULA, Simoni Mendes de; CORREA, Sílvio Marcus de Souza. Nossa África: ensino e pesquisa (orgs). São Leopoldo: Oikos, 2016. P. 41-53

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s