Rodrigo Ferreira dos Reis é Mestre em História, pelo Programa de Pós-graduação em História na Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC e pesquisador associado do Laboratório de Estudos Pós-coloniais e Decoloniais – AYA (UDESC/FAED)

Este artigo tem como objetivo pensar os conceitos de Ôrí e Quilombo produzidos pela historiadora Beatriz Nascimento e suas interlocuções com os conceitos de memória e história. Para a produção deste estudo usamos como fonte os textos produzidos pela autora e publicados em diferentes jornais bem como sua obra oral “Ôrí”, apresentada no documentário produzido por Raquel Gerber. Primeiramente foi feita uma contextualização da vida e estudos de Beatriz Nascimento e sua ligação com os estudos pós-coloniais e, posteriormente, analisamos particularmente o conceito de Ôrí como possibilitador de uma memória coletiva ancorada no corpo negro e o quilombo como território corporal. Ôrí nos convoca como historiadores e acadêmicos a pensar o corpo, seus gestos, seus modos e sua linguagem como materialidade central para a produção de memória, de identidade e, portanto, de História.

ACESSE O ARTIGO: DOS REIS, Rodrigo Ferreira. Ôrí e memória: o pensamento de Beatriz Nascimento. Sankofa, São Paulo, v. 12, n. 23, p. 9-24, 2019.

E-mail para contato: rodrigodosreis76@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s