Jaider Esbell, segundo seu site, é do povo Macuxi, nasceu em Normandia, Roraima e viveu grande parte de sua vida onde hoje é a Terra Indígena Raposa – Serra do Sol (TI Raposa – Serra do Sol). 

Se denomina artivista e tem produções que vão de pinturas e produções textuais à audiovisuais e performances. Suas intencionalidades nas artes partem da cosmogonia de seu povo e das suas vivências, trazendo concepções de vida coletiva e questionamentos políticos, pessoais e de sua comunidade de forma articulada. Se formou em Geografia em 2007, e desde muito antes, trabalhou para conseguir viver da arte, ganhando em 2016 o Prêmio Pipa como referência em arte contemporânea. 

Como pesquisador eu adotei as linguagens artísticas como forma de fazer política e a escrita na língua do colonizador é uma maneira de tornar traduzível para as mais diferentes línguas possíveis aquilo que por si só não tem bastado.

Em 2010 Jaider promoveu, com curadoria própria, o I Encontro de Todos os Povos em Roraima, que contou com a participação de onze povos indígenas representados por seus artistas. A partir daí a necessidade de um espaço para produção-pesquisa-circulação-extensão da arte indígena contemporânea se fez presente, surgindo em 2013 a Galeria Jaider Esbell de Arte Indígena Contemporânea¹.

A produção marca o tempo dando suporte aos fazeres em diálogos e contextos da arte indígena contemporânea autônoma e protagonista, nessa parte do Brasil.

Jaider s Esbell sobre a galeria de arte indígena contemporânia

Em 2016 Jaider ganhou o Prêmio PIPA Online, e em 2021 foi indicado novamente. A seguir algumas de suas obras indicadas:

1 – “Arikba, a mulher de Makunaimî”, 2020, Acrílica e posca sobre tela, 72 x 75 cm2 – “O anúncio do dilúvio”, 2020, Acrílica e posca sobre tela, 100 x 75 cm
3 – “A Vaca”, 2017, Acrílica e posca sobre tela, 100 x 100 cm
4 – “Zoomorfo”, 2016, fitas, marcadores, tinta acrílica, casca e galhos de árvores, 110 x 120 cm
5 -“Maldita e desejada”, 2013, acrílica sobre tela, 400 x 400 cm

Acesse mais obras!


REDES SOCIAIS DO ARTISTA:


INDICAÇÕES:

ACESSE O TEXTO: AUTO DECOLONIZAÇÃO – UMA PESQUISA PESSOAL NO ALÉM COLETIVO – JAIDER ESBELL MAKUXI – primeiro capítulo do livro Narrativas Insurgentes do Laboratório AYA

ACESSE O TEXTO: AUTODECOLONIZAÇÃO – UMA PESQUISA PESSOAL NO ALÉM COLETIVO

ACESSE O TEXTO: Dá pra aprender com a colonização escravista?


¹ Galeria Jaider Esbell de Arte indígena Contemporânea


Acompanhe os outros artistas: TECENDO SENSIBILIDADES


ACESSE NOSSAS REDES SOCIAIS!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s