Luisa Wittmann é professora de História da UDESC e mãe de duas meninas. Doutora em História Social pela UNICAMP, coordena atualmente o Mestrado Profissional em Ensino de História (ProfHistória-UDESC) e o AYA Laboratório de Estudos Pós-coloniais e Decoloniais (FAED-UDESC), desenvolvendo pesquisa sobre cinema indígena intitulada “A revolta do olhar: concepções de história na narrativa audiovisual Guarani”. A mediadora da Roda de Conversa Imagens Encruzilhadas no 2 Encontro Internacional Pós-colonial e Decolonial é autora do livro O Vapor e o Botoque: imigrantes alemães e índios Xokleng no Vale do Itajaí/SC (1850-1926) e organizadora do livro Ensino (d)e História Indígena, finalista do prêmio Jabuti 2016, categoria Educação e Pedagogia. 

Livros:

O Vapor e o botoque: Imigrantes alemães e índios Xokleng no Vale do Itajaí/ SC (1850 – 1926)

“Ao recompor pistas, sinais e emblemas de um registro documental no mais das vezes incompleto, O Vapor e o Botoque demonstra o quanto a intuição, as técnicas e a narrativa dos historiadores podem contribuir para o conhecimento das histórias ameríndias. Ao mesmo tempo, ao retraçar vidas e ações de protagonistas indígenas, a autora responde de maneira eloqüente ao costumeiro silêncio dos índios no universo dos historiadores”. (John Manuel Monteiro)

Ensino de História Indígena 

Direcionado aos professores do ensino médio, Ensino (d)e História Indígena disponibiliza estudos ancorados no que há de melhor e mais atual no campo das pesquisas acadêmicas sobre a temática indígena. O livro é um aliado para a implementação da Lei 11.645/08, que torna obrigatório o ensino de história e cultura indígenas nas escolas brasileiras. Os casos apresentados funcionam como roteiros capazes de enriquecer o trabalho das salas de aula, seja ele destinado a ministrar aulas expositivas, a orientar pesquisas ou mesmo a exercitar a prática do debate bem orientado. 

NARRATIVAS INSURGENTES: DECOLONIZANDO CONHECIMENTOS E ENTRELAÇANDO MUNDOS

Publicado: Florianópolis, SC Rocha Gráfica e Editora Ltda. 2020

A obra organizada pelas professoras Cláudia Mortari e Luisa Tombini Wittmann é  resultante do 1 Encontro Pós-colonial e Decolonial, organizado pelo AYA Laboratório dos Estudos Pós-coloniais e Decoloniais e realizado em outubro de 2019.

Aprenda mais sobre cinema guarani e/ou indígena com a seguinte entrevista:

LIVE: O que podemos aprender com o cinema indigena? (Parte 1) Luisa T. Wittman/ entrevista live/entrevista Nudha. 

Realização:  NUDHA CEART

Lives para saber mais:

Diálogos Luppa – Muitos passados importam. História e relações étnico-raciais

Diálogos Luppa. Muitos passados importam. História e relações étnico-raciais. Uma conversa on-line com Luisa Tombini Wittmann (Professora de História da UDESC) e Fernanda Oliveira da Silva (Professora de História da UFRGS). 04 de junho de 2020.

Mobilização indígena e o marco temporal

“Com participação de Luiz Eloy Terena (advogado da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil-APIB), Joziléia Kaingang (covereadora pela Coletiva Bem Viver Floripa – PSOL), Luisa Tombini Wittmann (UDESC) e mediação de Soraia Dornelles (UFMA).”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s