Emerson, 30 anos, indígena da Amazônia Central. É biólogo, mestre em Ecologia, e atua como artista visual, arte educadora e pesquisadora. Mora em Manaus, território industrial no meio da Floresta, onde se transforma para viver Uýra, uma árvore que Anda. Destaque da 34º Bienal de SP, Bienal Manifesta! e vencedora do Prêmio PIPA 2022, Uýra utiliza o corpo como suporte para narrar histórias de diferentes Naturezas via fotoperformance, performance e instalações. A partir da paisagem Cidade-Floresta, se interessa pelos sistemas vivos e suas violações, com ênfase na memória e diáspora indígena.

 “Meu trabalho é questionar o que é natural, aquele de fato, e o que tem sido naturalizado e que tem nos matado. […] Chega de transformar a violência como paisagem. Nós povos indígenas, quilombolas e ribeirinhos, estamos a mais de 500 anos protegendo as florestas. Quando seu alimento, seu rio, sua terra é ameaçada, também somos ameaçados. A gente tá lutando pelo óbvio, que é a realidade.”

Este ano foi lançado o documentário sobre sua atuação, vencedor de dois prêmios: o Prêmio Especial do Júri na Categoria Liberdade do @Outfest e o Prêmio do Público de Melhor Documentário no @Frameline

Confira o trailer de UÝRA – A Retomada da Floresta

Uýra é uma das ganhadoras do premio PIPA de 2022!

Assista o vídeo produzido pela Do Rio Filmes para o Prêmio PIPA 2022 abaixo:

Para saber mais assista: 

Uýra Sodoma, uma drag queen indígena em defesa da Amazônia

Documentário faz parte da série Brigada NINJA Amazônia.

_________________________________________________________________

Uýra Sodoma – Festival Multiplicidade 2021

“OBRA 01: “Manaus, uma cidade na Aldeia”, que recontar a história e as consequências da ocupação colonial da Amazônia central (e Brasil), além de emergir à superfície também a resistência dos povos indígenas que seguem habitando estas cidades sobre Aldeias em todo o país.

OBRA 02: “Quintal” propõe o levante e renascimento a partir do que temos aqui e agora, o Quintal.

Através da costura de Espadas-de-Iansã, provoca-se o movimento e a retomada de forças para um novo ano, um outro ciclo.

“A performance QUINTAL aborda como o elementar Terra, metaforicamente apresentado como o quintal (este nosso entorno atual) se conecta com os processos de nascer, crescer, se reproduzir e morrer – e nascer de novo, após a morte pandêmica. Distante da pressa e superficialidade de nossos tempos, a floresta se movimenta. A partir do solo pobre, cresce exuberante e complexa. Autônoma que é, vive de si mesma – retroalimenta-se. O faz, se conectando, nutrindo-se de seu quintal – daquilo que é possível. Assim, morte e vida tornam-se um só. Está na floresta e nos seus povos, a esperança deste mundo que, mais do que nunca, vive imprevisível e doloroso.”

#UyraSodoma #arteindigena #Ativismo”

Texto via descrição do Youtube

________________________________________________________________________

Programa Convida: Uyra Sodoma

“Uyra Sodoma, uma das artistas convidadas pelo IMS a se dedicar à criação durante a quarentena, apresenta “Manaus, uma cidade na Aldeia”.

“Através de elementos orgânicos e utilizando o corpo como suporte, encarna esta árvore que anda e atravessa suas falas na foto-performance. Se interessa pelos sistemas vivos e suas violações, e a partir da ótica da diversidade, da dissidência, do funcionamento e da adaptação, (re)conta histórias naturais, de encantaria e atravessamentos existentes na paisagem floresta-cidade.”

Texto via descrição do Youtube


Acesse o site do 2° Encontro Internacional Pós-colonial e Decolonial para saber sobre mais convidades!

Redes sociais:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s