Suzani Cassiani é professora titular do Departamento de Metodologia de Ensino da UFSC e licenciada em Ciências Biológicas com Especialização, Mestrado, Doutorado em Educação pela UNICAMP (2000) e Pós Doutorado em Ciências Sociais na Universidade de Coimbra-Portugal. 

Foi professora na rede pública do estado de São Paulo durante 12 anos (1988 a 1996). Atuou também como professora na escola Freinet Curumim. Na UFSC, atuou como Diretora de Ensino da Pró-Reitoria de Graduação e como Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica – PPGECT, entre 2010 e 2012, coordenando projetos nacionais em rede como o Observatório da Educação, Prodocência e Procad. Sua área de investigação envolve estudos relacionados à formação de professores, efeitos de colonialidade e pedagogias decoloniais na educação em ciências. 

Um dos seus trabalhos marcantes em conjunto ao PPGECT e a CAPES é em conjunto ao Programa de Qualificação de Docente e Ensino de Língua Portuguesa (PQLP) em Timor-Leste, uma Cooperação Educacional Internacional, financiada pela CAPES, país do Sudeste Asiático, Timor-Leste, que passou por 400 anos de colonização portuguesa, sendo posteriormente invadido pela Indonésia. 

Atuando em programas voltados a qualificação docente, Suzani levanta as seguintes questões: 

  • Como o trabalho desenvolvido pela missão brasileira contribui com os professores timorenses? 
  • Quais os desafios para os timorenses, sobre que ciências ensinar em Timor-Leste? 

“Analisando os livros propostos por Portugal, percebemos que, apesar do trabalho bonito feito pelas universidades, colegas nossos, não existe uma participação dos professores Timorenses na elaboração dos materiais didáticos. São elaborados por estrangeiros. Isto traz exemplos de agrotóxicos, o Timor é em maioria agricultura familiar, não existe agrotóxicos. Plantações de eucalipto, quando normalmente não existe. Muito exemplos fora da realidade do Timor e muitas vezes exemplos que detonavam, e denotam, a cultura local. Inclusive em relação a medicina tradicional que é muito utilizada. É um povo muito resistente, eles sofreram à muitas invasões, possuem um conhecimento popular muito forte e aí vem um livro que vai subalternizar esse conhecimento. A hierarquização do saber.”  

Para saber mais confira o memorial de suas atividades acadêmidas aqui e a Live: Profa Suzani Cassiani (UFSC) Descolonizando o Ensino de Ciências     

Últimos livros lançados:

Decolonialidades na Educação em Ciências. Por Bruno A. P. Monteiro (Editor), Débora S. A. Dutra (Editor), Suzani Cassiani (Editor), Celso Sánchez (Editor), Roberto D. V. L. Oliveira (Editor)

Resistir, (Re) Exisitir e Reinventar a Educação Científica e Tecnológica. Por Suzani Cassiani e Irlan von Linsingen

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s