Quilombola, morador do Quilombo do Saco-Curtume (Piauí), poeta, escritor, professor, ativista político e militante do movimento social quilombola e de direitos pelo uso da terra.

Bispo foi professor da disciplina Encontro de Saberes na UnB em 2012 e 2013 e pertence à rede de mestres docentes do Instituto.  Foi também presidente do Sindicato de Trabalhadoras e Trabalhadores Rurais de Francinópolis/PI e diretor da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado do Piauí (FETAG/PI).

“Falo tagarelando, escrevo mal ortografado, canto desafinando, danço descompassado, só sei pintar borrando, meus desenhos são enviesados. Esse é o meu jeito. Não me mandem fazer direito. Eu não sou colonizado. Vivas.”

Obras publicadas:

COLONIZAÇÃO, QUILOMBOS: modos e significados, de 2015.

Mestre das Periferias, de 2021.

“Sempre fomos tratados de forma coisificada. Os indígenas são vistos historicamente como selvagens, e os afro, como pertencentes a organizações criminosas.”

Confira a roda de conversa com o líder quilombola Antônio Bispo dos Santos, realizada em 2016 pelo Centro de Estudos em Desigualdade e Discriminação (CEDD/UnB) e o Maré – Núcleo de Estudos em Cultura Jurídica e Atlântico Negro:

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s